VISITAS

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

GUERRA VIRAL


Desde o final de abril de 2015, o Brasil convive com a presença de três vírus, o da dengue, o chikungunya e o zika, esse o último a ser rastreado e que ganhou importância por sua suposta associação com o crescente surgimento de casos de microcefalia.





O disseminador desses vírus é um mosquito, chamado Aedes aegypti.
Primeiramente, faz-se necessário diferenciar esse mosquito do pernilongo comum que muito nos perturba à noite com seu zunido irritante. O irritante chama-se Culex quinquefasciatus.


                                                   Aedes aegypti
                                                      
Tamanho                     6mm                                                 
Cor                               faixas pretas e brancas                                        
Horário que circula    das 09 às 13h                              
Som quando voa        silencioso                                
Onde se reproduz      água limpa                           
Picada                         não deixa sinal na pele e não causa coceira

Ovos                             fora da água, viáveis por 18 meses


           
                                                    


                                             Culex quinquefasciatus


Tamanho                     4mm                                                 
Cor                               marrom                                        
Horário que circula    hábito noturno, após às 18h                              
Som quando voa        faz barulho, zunido                                
Onde se reproduz      água suja, como esgoto                           
Picada                         deixa sinal na pele e causa coceira

Ovos                             fora da água, tornam-se inviáveis


Quanto aos sinais e sintomas de cada quadro infeccioso, algumas diferenças merecem destaque.



Na Chikungunya, chama muito a atenção o quadro de artralgia (dores nas articulações), que são muito mais intensas que na dengue e zika e singularmente, podem permanecer por vários meses e, via de regra, é  muito incapacitante.. As principais articulações acometidas são as mãos, os pés, os dedos e os tornozelos.

Em relação à febre, na dengue e na chikungunya, é de início precoce e muito elevada, geralmente acima de 39ºC, enquanto que no Zika, é mais branda ou mesmo, pode não existir.

As manifestações que atingem os olhos são diferentes. Na dengue ocorre dor ocular, sem vermelhidão, enquanto que na chikungunya e zika ocorre vermelhidão intensa que lembra conjuntivite, mas sem secreção.

O cenário atual comparativo entre os três vírus é o seguinte:
A dengue preocupa por apresentar maior índice de mortalidade, além de ter uma fase de complicação hemorrágica – dengue hemorrágica.

Chikungunya, raramente se relaciona com a morte, no entanto apresenta elevada morbidade por se tornar incapacitante pelo potencial de desencadear dores articulares intensas e de longo prazo.

Zika, está relacionado a complicações neurológicas em recém-nascidos (microcefalia) embora ainda, nesse momento, não haja comprovação de que esse vírus seja a causa dessa condição.